22.7.07

A vida abraça-me

Sigo a Flôr de Liz.
Preenche-me o sentido do Norte.
Junto nas mãos tudo o que fiz.
Não me queixo da minha sorte.
Detesto o queixume.
Aprendi a escolha pelas trocas verdadeiras.
Fecho os olhos e aprecio aquilo de que me apercebo.
Não opto pelo jogo das cadeiras.
Por isso bebo tanto do que recebo.
Não alimento jogos cruéis e a vida é um jogo antigo.
Transcende-me o cenário colorido sonhado.
Abro o coração e deixo que o carinho a sorrir se instale.
Dei-o ontem e hoje o amanhecer é sagrado.
Não troco a minha vida e vivo-a até que me cale.
Delicioso agridoce.
Tenho aconchegado a vida e ela abraça-me.

1 comentário:

amorasilvestre disse...

Sem palavras Isa. És uma poetisa!

Adoro vir aqui. As tuas palavras aconchegam-me :)

Beijo enorme