2.11.07

Mais cego que os cegos

pode o teu olhar ter perdido a cor
a cor ter mudado essa luz
pode essa luz ter deixado de ser a do Sol
e manteres o encanto que me seduz


pode um cego ver mais sem os teus olhos
que olhos teus estão desacreditados
a miopia doente cansou-te a vista
e no teu coração anoiteceram frutos esverdeados


a vontade do tudo descoberta sob a cadente
por silêncios trocados na cumplicidade sem entrega
pode ter morrido ante estrela encandescente e segura?
desangano-te, certeza plena não morre por ser calada e a memória é mais forte que a voz cega

2 comentários:

Pratas disse...

Belo texto, muito bonito...

PS: Sempre foste à sala Ogival?

Amaral disse...

A cumplicidade dos silêncios têm a magia da força que não se vê.
Mas o olhar é o espelho que vem da alma, que reflecte a verdade dos sentimentos que o tal silêncio não fala... mas revela...