17.9.08

Próximos episódios

Oi :)
Hoje não venho fazer rimas ou jogar a beleza das palavras. Somente deixar um desabafo.
Se há quem prefira andar de palas como os burros, falar no carro XPTO que vai comprar, mais o novo telélé que quer comprar e as férias nas américas que vai ter, ok. Mas eu, que até tenho aqui este espacinho, não me consigo calar.
O que eu gostava de desabafar é a quantidade de conformismo que me causa arrepios na espinha. Brrrr! Sim, arrepios. Então mas ninguém viu o banco que faliu (F-A-L-I-U) nos "estates"? Então e a notícia sobre a especulação da falência da seguradora Alico? Bem, e os despedimentos na terra de sua magestade?
Pois, então leiam. Como dizia um prof da minha faculdade (cito o professor Vitor Almeida em Comunicação Organizacional) "Informação é poder". Pronto, não precisam de pensar muito para concluir isso. Há muita desinformação, mas a verdade é que estamos todos habituados à papinha feita e isso desde cedo. Por exemplo, na escola gostamos das aulinhas todas esquematizadinhas, com a matéria toda descrita nos acetatos, verdade? Mais? Habituaram-nos a que os manuais escolares tivessem quase tudo para que o teste fosse um sucesso, sem precisar de pesquisar, mentira? Adiante. Educamos o pessoal para se conformar com o que lhe é dado, do modo como está, sem precisar de se informar. Mas com a vinda da net a vida mudou. Como dizia o anúncio "a vida mudou, tudo é diferente... sabes escolher". Pára aqui. SABES ESCOLHER. Sabes? Temos escolha, ela existe.
Ora, se o estado da nação é esta pelintrice de crise que jornais comparam à de 29, porque é que continuamos a comprar o supérfulo?!
Leiam algo sobre consumo. Sério. Trabalho na área de marketing e podem pensar: não estarás a ser inconsistente com o que defendes na tua estratégia para com os teus clientes? Podia ser uma resposta muito simples, mas a verdade é que é mais complexa do que um simples "sim ou não". O marketing quer atingir os Clientes, as pessoas interessadas (ou que ainda não estejam e que podem precisar de alguma coisa e não sabem... ainda!) num produto. Quanto mais souber dessas pessoas, melhor! Não pretende atingir tudo e todos. Pessoal, consumir é um comportamento, daí o estudo do comportamento do consumidor. E é um comportamento voluntário e que deve ser da responsabilidade de cada um. Como se pode ler
aqui.
Agora, se preferem manter as palas e fingir que não está a acontecer nada, tentem lá advinhar onde é que vai parar este consumo desenfreado, em que nos habituámos a calçar o sapato maior do que o nosso pé? Imaginam as cenas dos próximos episódios?
Sério, informem-se, porque a taxa de juro do crédito habitação está a crescer, tão certo como este ano o Natal ser a 25 de Dezembro.
Foi um desabafo do meu Portugal.

1 comentário:

Pratas disse...

Muitas vezes ja quis escrever sobre este assunto e aqui encontrei tudo aquilo que queria dizer. Vai um Share.

Eu que me considero uma pessoa muito ponderada nos meus gastos, tenho uma vida que considero muito boa. Tenho tudo aquilo que me faz falta, e dividas so a do credito habitaçao. Tenho a sorte de ter o dinheiro suficiente para gastar em coisas que me dao prazer e o cuidado e Educaçao para evitar o consumo descuidado e perigoso.

Antes de comprar algo penso umas 10x antes para ter a certeza que nao estou a fazer uma ma compra ou de algo que nao preciso.

A maior parte das pessoas que conheço perde a cabeça em automoveis, telemoveis, PDA/IPOD/etc que usam durante o primeiro mes e depois encostam. Agora ate no Natal se endividam, o Natal que deve ser encarado como um acontecimento familiar de troca de presentes, torna-se num esbanjar de dinheiro desnecessario, ninguem pensa no espirito de natal, o que interessa e dar boas prendas...

(desculpa o meu PC esta de momento sem pontuaçoes...)