17.3.10

São 24

São 24. Não são rosas como alguém canta, mas são 24horas as do dia.
Sim, o tempo para mim ganhou ainda mais importância.
Se prestar contas a mim mesma, o tempo ganha-me aos pontos.

Então como é que é cada vez mais difícil controlá-lo se temos cada vez mais meios e formas de o ganhar?

Fala-se muito actualmente na Gestão de Tempo. E há montes de livros a ensinar como geri-lo e a emprestar ferramentas para lá chegarmos. A questão é: será que o tempo para nós é importante?

IAC! Detesto perder tempo. Pois é, mas ainda perco. Acredito que melhoro a cada dia.
E não falo apenas no tempo perdido, como as conversas do "se eu tivesse 20 anos". Refiro-me à utilidade que dou ao tempo. Às escolhas que faço quando decido onde o emprego, onde o gasto.

Há pessoas que nos fazem perder tempo. Outras que nos ajudam a ganhar tempo.
Há pessoas maravilhosas que nos permitem aprender com elas, que nos deixam ver como é passar das palavras aos actos. Parece um acto de magia.
Verificamos que, acontece simplesmente. A conjectura de factores está reunida: a pessoa está lá, a fazer aquilo, antes do deadline, com tempo para emendar, para discutir, pensar sobre e sem stress. É como se a pessoa previsse que vai precisar de algo e já tem garantido aquilo antes que ela conteça.
Tenho verificado esta prática com alguns profissionais e é mesmo assim, parece magia. Eles vão à luta. Impelem os seus actos para tal e PLIM, acontece.

Tento não estar com pessoas que me fazem perder tempo. E que me consomem.
Chegada aos 30 aborrecem-me certas pessoas. Concluo que nem são as pessoas, mas ao fim e ao cabo, as suas atitudes. As suas atitudes fazem-me perder tempo!
Quem me conhece sabe que dificilmente me afasto mesmo. Talvez até possa parecer radical com este pensamento. Mas a verdade é que o corte não é literal. O que procuro é gerir as minhas escolhas. É apenas a escolha com quem quero ou não estar, ir ou não ir. Parece simples, mas é simplesmente a decisão de como escolho gastar um dos bens mais preciosos: o meu tempo.

A vida é mesmo curta e os dias... bem, opino que podiam ter 36h. Como não têm e recentemente a Terra só se mexeu ligeiramente e ainda não está posicionada para ter mais horas, bem (!), cá me dedico a gerir o meu tempo.

Dicas caseiras, mas que: FAZEM MAGIA!

Alguma dúvida? Cansa-me perder tempo. Perder tempo cansa-me.

p.s. claro que o TLM, a internet fazem magia, ajudam a poupar tempo, mas... não se iludam que deixa-nos mais tempo para qualquer coisa que gostamos. É um bocado como o dinheiro, quando vem costumas estar garantido. E sempre que há mais, teremos sempre novos planos para ele. A diferença é que o dinheiro É RECUPERÁVEL, o tempo, nah!
p.s.2. ganha-se tempo quando fazemos coisas em que acreditamos (apenas + uma dica caseira... mas que PLIM!)

3 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
CP disse...

Como disse William Shakespeare,

"O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que têm medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno."

Aprende com o tempo, mas sobretudo vive!! Aproveita cada instante, e retira dele o que de melhor ele possui!
Abraço graaaaaande!

figueirinha disse...

Sem dúvida, viver. Viver e amar. Amar e ser amado. De preferência, com a intensidade que a vida merece.
CP um abraço daqueles ;)