27.1.07

Conversa Controversa

Vou escrever sem saber muito bem o que vou dizer. Mas a pergunta surge tantas vezes que até já tinha desistido de pensar no assunto. Antes era eu que a colocava. De há uns dias para cá, têm-ma feito com alguma frequência.
Se bem que há perguntas que não parecem ter resposta, esta é uma daquelas para a qual até parece haver, mas... Mas, digamos que, deixei de pensar nela porque deixei de me importar sobre este "porquê". Conclui que se mal não fazia, também não teria de encontrar o porquê de o fazer. Nem a curto, nem a médio, nem a longo prazo. E que, apesar se não ser perfeitamente controlável isso também não teria importância.
Já experimentaram falar sobre o amor com os vossos amigos? Bem, é daquelas conversas sem fim, sem metas, sem conclusões e... é definitivamente, uma "conversa controversa"!
Há quem acredita nele, há quem ache que ele não exista, há quem acredita nele mas não na forma como a maior parte das pessoas o considerem, enfim... há tantas definições para o amor que... também reste tipo de perguntas se receia pensar, pensar e nada encontrar. Se bem que eu ache que, depois de muito pensarmos, há sempre umas ideias mestras que ficam e resistem.
Quando pensamos no porquê de nos ligarmos ao MSN, o que é que aparece primeiro na nossa cabeça? Pois... digam lá... é que eu já pensei tantas vezes sobre isto que nem sei o que vos dizer.
A minha Mãe ouve-nos a rir, ela sabe que encontramos amigos por estas bandas, nos divertimos, trocamos fotos, música, etc. Até sabe que o meu último romance começou por aqui. Nada na manga, nada a esconder!
Mas o que nos traz aqui? Depois de um dia de trabalho, ou mesmo no trabalho (eu ainda sou do tempo em que se podia ter MSN no local de trabalho, LOL), lá estamos nós que nem uns doidos a teclar!
Escolhemos uma bela foto, nossa ou nem por isso, e partimos à aventura. De início TODOS acreditamos que JAMAIS conhecer pessoas no MSN. Claro que, também JAMAIS conhecer essas mesmas pessoas pessoalmente. Daqui a uns tempos, culpamos os amigos (alguém que nos tenha iniciado no vicio!), e questionamo-los: "sabes de quem é a culpa de esta noite ir bebe café com o Adérito das Couves? Sim, aquele da foto do rapaz de chapéu de palha a apanhar a couve portuguesa ao frio e debaixo de chuva na véspera do Natal passado! Exactamente, aquele que tem 1,90m de altura, não têm pelos em nenhum parte íntima, fala todas as línguas, tem uma vida social super activa, pratica desporto há anos e todos os dias quando acorda lembra-se de mim como a primeira mulher a compreender os seus pontos de vista "in all his intire life"!"
Todos buscamos uma paz, não sabemos muito bem é onde é que a vamos encontrar.
De qualquer modo, é como digo, deixamos de fazer algumas coisas, coisas tão importantes como descansar. Mas um facto é que, sem esquecer que do outro lado há sempre uma pessoa, nós convivemos pela internet!
Como há uma Isa, há-de haver um Adérito que se liga para se divertir e, quem sabe, descobrir alguém no meio de tanta gente!
Na verdade só passamos à fase do conhecimento quando efectivamente estamos na presença da pessoa. Podemos tipificar um perfil, desenhar todos os seus contornos físicos, mas aquela visão que temos de alguém quando estamos na sua presença (e que, meus amigos, não passa via ecrã) só há mesmo em directo, a cores e ao VIVO! É tudo aquilo que nos permite ter o tal feeling, ver aquilo que rodeia a pessoa, sentir o tal click ou não, sentir a tal paz na sua presença ou não. No fundo, é sentir toda a cor e toda a música da pessoa!
O MSN pode ser simplesmente o canal, o meio, a estrada, o elo para chegarmos até uma determinada pessoa. Isto, no que se refere ao conhecimento de um futuro amigo, de alguém especial. Conhecer mulheres não passa muito pela cabeça das mulheres, não de todo. Estou errada??
Enfim, não é que para se saber tenha de se passar aqui metade do dia. Mas quem já por aqui passou saberá do que falo.
A depressão, a solidão, juntamente com outros problemas da sociedade, são doenças deste século.
Não, o MSN não as evitará, mas talvez nos ajude a sentir menos sós, a partilhar o nosso mundo, ou a encontrar outros mundos.
Tem mais piada sair com os amigos, cozinhar para a família, ir ao cinema ou nadar! Não procuramos "medicamentos compatíveis, dos genéricos". Mas não precisamos de cair naquele pensamento de: "é um falso companheiro". É uma companhia!
Há histórias felizes.
Há amizades.
Há amores.
Há aprendizagens.
Há emoções.
Há um mundo de pensamentos e emoções!
E de partilha.
Também há a mentira.
Há a conversa e a desconversa.
Porque nos ligamos ao MSN?
Como é que cada um vive o MSN?
Ondas diferentes?
Há também formas diferentes de viver toda esta "conversa controversa".

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.