8.3.07

Hoje comemora-se o DIM


Olá @--;--

Hoje comemora-se o DIM, Dia Intenacional da Mulher.
Hoje é feriado nacional em Angola, porque hoje é o dia da mulher.
Podia escrever muita coisa (o que significa este dia?). Podia debater outras tantas (qual o sentido deste dia ser comemorado?). No trabalho falou-se... na tv falou-se. Na rádio falou-se e brincou-se.
Decidi colocar aqui uma partilha interessante acerca de relações. Como diz a Madonna: "é o sexo que faz rodar o mundo". Porque não escrever o que todos vivem? Relações familiares, amorosas, de trabalho, de amizade...
Não fui eu quem escreveu e não conheço o autor. Mas houve uma pessoa muito querida que me disse assim: "recebi um texto e ao lê-lo lembrei-me de ti e das nossas conversas".
Ao ler estas palavras, identifico algumas das sensações encontradas em momentos mais sós e com claridade. E houve alguém que conseguiu traduzir o que, como eu, muitas pessoas já sentiram.
As pessoas têm formas e feitios. E as relações também.
Quando saber que estamos na relação certa? Ou errada?
O que é uma relação destrutiva?
O outro deixa-nos ser nós mesmos? Deixa-nos sonhar?
Tantas vezes diz-se que é preciso ceder. Mas ceder até onde?
E anular? Podemos anular parte de nós para dar felicidade a alguém? Isso traz o bem de quem?
Que sinal ler dentro de nós para decidir como fazer o quê para o bem da relação, para o nosso bem e para o da pessoa que tanto consideramos, respeitamos e desejamos?
Onde estão os limites: os nossos, o da pessoa e o normalmente aceite?
Aqui fica esta partilha. Obrigada amiga.


Relações de Sentido Único

"Já tive a minha dose de mulheres perturbadas que só trazem caos e desordem à vida dos outros, enquanto transformam a sua própria vida num tormento. Eu costumava pensar "eu posso ser O TAL" que as curaria e ajudaria, e parecia-me algo tão altruísta e romântico - estar lá para uma pessoa, independentemente do quão dolorosas as coisas fossem (uau, um santo e um mártir...). No fim de contas, aprendi que algumas pessoas não podem ser ajudadas, até que acordem da sua própria miséria, que resulta de todo o tipo de demónios interiores, para os quais eu não contribui e os quais eu não consigo exorcizar... elas têm de aprender a crescer e mudar para além de tudo isso, e curarem-se a si próprias.
Aprendi a afastar-me de problemas que não são meus e que uma relação saudável é o resultado de duas pessoas gostarem uma da outra o suficiente ao ponto de se preocuparem em não se tornar um fardo para a outra, seja emocionalmente, seja financeiramente, seja fisicamente. Se alguma pessoa está a desgastar o teu espírito de forma alarmante, podes ter a certeza que essa é uma relação que está a seguir um caminho de sentido único, e isso simplesmente não é justo.
Mereces um aplauso por finalmente teres tido a coragem de te afastares de tudo isso. Agora só tens de fincar o pé e cerrar os punhos, para que não te deixes cair novamente nessa confusão. Ela pode chorar, suplicar, e arrepender-se, e fazer todo o tipo de promessas, mas tu tens de ser determinado. Tens de prometer a ti mesmo que, de agora em diante, acabaram as relações de sentido único, em que o balanço entre o que se dá e o que se recebe é completamente desequilibrado, em que os valores/personalidade da tua companheira não são suficientes para te fazer abanar a cabeça e pensar "bolas, tenho de mudar". Encontra alguém que não te faça sentir cansado e inútil por tentar e dar o tempo todo."
Autor: Desconhecido

1 comentário:

Johnny disse...

O texto do sentido unico é muito bom, mas não foste tu que o escreveste pois não? Como está entre aspas parto do principio que é uma citação, mas sendo assim tens de pôr o autor. Se estiver enganado e foste tu que o escreveste, parabéns, está um belo texto!