1.8.07

Vou-te chamar...

Subiste o monte, deves querer que te baptize. Vamos lá.
Se fosses Edmundo, certamente podia sempre chamar-te mundo!
És quase sempre tão honesto, talvez Ernesto.
Mas e Joaquim, Crispim? Com todo o teu frenesim!
Pensando bem, és calmaria, José Maria?
Também gosto quando és safado… olha, que tal Ricardo, Osvaldo?
E Hugo, doce como um sugo!
E o teu último desígnio: Monteiro, pelo teu lado verdadeiro.
Luís, com todo esse cariz.
Mas Manuel… Daniel... talvez pelo teu lado cruel.
Rodrigo? Incógnito como um belo umbigo.
Confesso que Sandro… assentava bem nesse teu ar malandro.
És lindo, talvez te devesses chamar Arlindo.

Francisco... arisco...
Mas com esse ar imponente, não dispenso o teu nome do meio: Clemente.
E pela recordação, ainda hesitava pelo nome João.
E Salvador? Pela tua dor, cor…
Tiago? Continua a ser vago.

Ou Hélder? Preenches qualquer pedacinho e recebe-te quem te der.
Com toda a certeza podes ter muitos nomes, não te confundo mais com outro Senhor.
Calo-me porque charme e delicadeza são rimas difíceis,
E deuses gregos… são incríveis!
Desce daí, vou-te chamar apenas Amor.


Foto tirada em Castelo de Vide - Páscoa 2007

1 comentário:

amorasilvestre disse...

És brilhante Isa. Consegues escrever a mais profunda das análises duma forma leve e divertida.

Parabéns!

Beijo